Um Amor pra Chamar de Meu

20 out 2014
Categoria: Sem categoria | Postado por: Fernanda | Nenhum comentário

Você reconheceria esse momento antes? Você poderia jurar por todos os deuses e todas as crenças que nunca sentiu algo assim? Eu nunca soube quando era amor. Nunca soube distinguir um batimento cardíaco acelerado por paixão de um ataque de desgosto. Eu fazia um esforço absurdo para sentir alguma coisa além de nada, mas sempre desistia na metade do caminho. É como me imaginar agachada no chão do quarto, com dedos cruzados, esperando por um milagre chamado sentimento verdadeiro, mesmo defendendo a irracionalidade dele. Inevitável. Lamentável. Por favor, não pense que sou louca. Ou perseguidora. Muito menos dramática. É que sou sensível, sabe? Passei a vida toda escondendo minha sensibilidade em buracos negros dentro de mim. É como se, caso ela fosse descoberta, tudo acabaria. Tudo desmoronaria e eu ficaria em pedaços.
Amar é sofrer. Mas como conviver com a solidão de não amar? Sempre me isolei emocionalmente para que não tivesse frustrações indesejadas. Sempre carreguei o meu deserto particular para que, em meio à multidão, eu pudesse ter meu cercadinho branco cheio de cactus dolorosos e afiados. Aí você vem com lindos lábios e palavras insistentemente doces, o que eu poderia fazer? Eu não encontrei nenhuma estrada que não me levasse até você. Ouvir “eu te amo” e ficar corada nunca fez parte de mim, nem do meu sistema nervoso. Mas você se infiltrou até nas minhas veias e eu te carrego para todos os lados agora. Eu nunca amei de verdade, mas você, com sua droga de meiguice me convenceu de que a vida é muito mais bonita e encantadora quando partilhada.
Eu lutei arduamente contra esses sentimentos coloridos que invadiram meu mundinho preto e branco. Mas, provavelmente todos os poetas e poetisas estejam certos sobre a necessidade de amar e eu perdi a batalha. Eu encontrei um amor para chamar de meu. E essa foi, provavelmente, a guerra mais bonita que eu perdi.
Texto: Raiane RIbeiro http://www.blogdaraiane.com/

texto blog

Você também poderá gostar de...

Nenhum comentário neste post.

Deixe o seu comentário!